Hora do café produzindo menos ou nenhum lixo

Hora do café produzindo menos ou nenhum lixo

Não sei vocês, mas aqui em casa eu penso em café o dia inteiro. E tomo café várias-vezes-por-dia. Então tomo medidas super simples pra não gerar tanto ou nenhum lixo com esse hábito tão constante.

O coador de pano

Coador de pano para caféCoador de pano de algodão, igual de casa de vó, deixa o café até mais saborosinho e ainda se torna uma relação um tanto quanto afetuosa pois acaba sendo um objeto bem seu, que você manuseia no dia-a-dia, cuida. Gosto bastante e, aqui em casa, tenho o meu. Mas, embora não seja descartável, a vida útil dele não é muito longa, fazendo com que não seja a melhor opção se pensarmos em sustentabilidade: recomenda-se trocá-los mensalmente. É biodegradábvel Eu sempre digo que vou trocar, mas nunca troco e estou com o mesmo há meses, rs.

De toda forma, é assim: se for o primeiro uso, precisa lavar bem com água quente e deixar numa infusão de café e água fervente por uns minutos, pra tirar qualquer resíduo de goma, cheiro ou gosto do tecido. Daí faz seu cafezinho e, depois, é lavar só com água – às vezes, eu fervo por uns minutos – e guardar em um recipiente imerso em água limpa dentro da geladeira pra evitar as bactérias. Quando tá um solzinho, eu penduro na janela mesmo pra secar. Mas dizem que a técnica da geladeira é a mais segura.

Você encontra coador de pano em qualquer lugar: supermercados, mercados municipais, vendinhas e até online, é só fazer uma busca rápida.

Os coadores de aço inox ou titânio

Coador de aço inox para café

Uma vez, passeando na loja da TEM Café (que é uma lojinha de café muitíssimo charmosa, cheirosa e gostosa em São Paulo), vi alguns de aço inoxidável e de titânio, que são opções bem melhores na questão da produção de lixo pois eles duram zilhões de vezes mais que os de pano. Além disso, a higienização é mais fácil e eficaz e eles não afetam o sabor ou o aroma do seu café. São também bem mais caros (beeeeem mais caros). Mas, se é algo que se usa o tempo todo, que não precisa ficar trocando e estiver sobrando um dinheirinho, acaba valendo, né?

A prensa francesa

Prensa FrancesaA prensa francesa é uma coisa linda de se ver, faz um ótimo café e não usa filtro nenhum. É bem fácil de encontrar pra vender na internet ou mesmo em lojinhas por aí. Até no Starbucks, tem. E são de vários materias, formatos e preços.

Você usa uma moagem um pouco mais grossa de café, cobre com água quente, mexe um pouquinho e deixa a infusão descansar por 4 minutos. Daí pressiona o êmbolo gentilmente e isso segurará a borra e deixará passar o café para ser servido.

Neste vídeo feito pelo Starbucks, a mestre cafeeira deles Vivi Fonseca (eles chamam de coffee master mas acho mestre cafeeira mais simpático) ensina as técnicas de como fazer um café perfeito na prensa francesa.

A cafeteira italiana ou moka

Essa também é mágica! Linda e duradoura, não precisa filtro também e é super prática. O café fica mais forte e encorpado e você faz a medida certa. Fora que ganha fácil o prêmio de cafeteira mais charmosa <3

É vendida em qualquer lugar, em diferentes tamanhos e valores. É bom comprar uma de boa qualidade para garantir a durabilidade dela e também a qualidade dos materiais que estarão em contato com o seu café, como o metal e a borracha.

Daí é só colocar água na parte inferior, o pó do café (também é ideal uma moagem mais grossa) sobre a gradinha, encaixar as partes e colocar já direto na boca do fogão. Na medida em que a água começar a subir com o calor, você tira do fogo e deixa a água terminar de subir sozinha. A água passa pelo pó do café e sobe pra te esperar no compartimento superior. Se falando parece meio abstrato, neste vídeo abaixo a barista Cecília Sanada do Octávio Café mostra todos os passos:

A borra do café

Como fertilizante

Providenciando um coador bacana e que não seja descartável, sobra só a borra do café. Aqui em casa é uma floresta: tenho planta pra todos os lados. E o café é um ótimo fertilizante pois possui nitrogênio, carbono e outros mineirais, além da matéria orgânica. E ainda ajuda a combater algumas pragas. Mas não pode tacar o café no pé dos vasos e pronto. Dessa forma, ele vai se decompor, roubando nitrogênio da terra e ainda podendo gerar fungos que podem ser prejudiciais.

Você pode adicionar a borra na composteira caseira ou mesmo deixá-la fermentar em uma mistura de farinha de cascas de legumes secas e cascas de ovos trituradas por uns 60 dias antes de usar.

Também pode misturar bem o café em uma porção de terra, na proporção de 1/10. E daí já espalha essa mistura no pé dos vasinhos (se guardar, pode mofar) ou use-a pra novos plantios.

E a maneira mais prática e menos eficaz (mas a que sempre uso, rs), é apenas diluir a borra de café em água, numa proporção de 1/10, e regar suas plantas. Vale até molhar um paninho na mistura e passar nas folhas para limpá-las e afastar os bichinhos. Só não dá também pra afogar as plantas no café todo dia. Aqui, como tenho muitas mesmo, vou revezando os vasos da vez.

Outros usos

Por fim, se você não é lá muito de plantas, pode aproveitar a borra de café de outras formas como para absorver maus odores da geladeira, esfoliar o corpo, fazer sabonetes e velas, afastar formigas e outros bichinhos. Você encontra muitas dessas dicas na internet mas aqui vai uma das listinhas que encontrei.

Menos lixo

Parece que o filtro de papel é meio inofensivo mas, na real, não é. O papel é quimicamente tratado e libera essas substâncias ao se decompor. E, se você toma café algumas vezes por dia, o volume de lixo produzido acaba sendo bem considerável.

A prensa francesa e o coador de metal são ótimas opções para não gerar lixo. Se não der para comprá-los, o coador de pano pode ser um meio-termo razoável, tomando-se os devidos cuidados.

E a borra de café é bem versátil e tem vários usos. Gosto mais de voltá-la pra terra pois, das outras formas, de um jeito ou de outro ela acaba sendo descartada depois. Na terra, ela se decompõe e ajuda as plantinhas. Então é bem mais lindo. Mas o importante é se conscientizar da geração de resíduos e ir criando novos hábitos na tentativa de reduzí-los ou mesmo elimininá-los. E, em uma tarefa tão constante como fazer um cafezinho, uma mudança pequena nos seus hábitos pode significar uma mudança gigante para o planeta.

Foto de capa:  Tyler Nix